Segurança Para Pais e Crianças

Conselho para as Crianças

- Sempre diga a seus pais onde estão indo, qual caminho fará, que meio de transporte vai usar e a que horas pretende voltar;

- Na rua, seja andando a pé ou de ônibus procure estar sempre acompanhado de amigos, em grupo ou pelo menos em dupla. Evite lugares mal iluminados e pouco movimentados. Nunca aceite carona de desconhecidos e recuse acompanhar um estranho, mesmo a pé;

- Para brincar, só vá a lugares especialmente destinados para recreação, supervisores por adultos e onde a proteção da polícia esteja disponível;

- Ao perceber que está sendo seguido, oriente-o a desviar seu caminho para um local de maior movimento, procurando entrar em alguma loja, mercado, bar, prédio etc e pedir ajuda. Ele nunca deverá tentar enfrentar a pessoa. Se for molestado, avise imediatamente a autoridade/adulto mais próximo;

- Não aceitar presente, seja qual tipo dor, de pessoas estranhas. Se alguém chegar a ele dizendo que o conhece, ou alguém da família, oriente-o a não parar e pedir ajuda, caso a pessoa o persiga;

- Quando um estranho se aproximar dizendo que alguém de sua família está no hospital, instrua-o a não acompanhar a pessoa. Ensine-o para que ele telefone para alguém da família a fim de confirmar a história.

- É necessário orientar cuidadosamente as crianças para que elas saibam como agir em situações críticas e/ou suspeitas;

- Ensine às crianças a utilizar o telefone (como operar o aparelho, como chamar a polícia, como atender a uma chamada, o que falar, como fazer ligações);

- Crie uma agenda simples com os números de telefones emergenciais (polícia, corpo de bombeiros, defesa civil) e de parentes e amigos próximos e deixe ao lado do aparelho para que seja fácil a criança consultar, caso necessite;

- Com relação ao atendimento da campainha, seja numa casa ou apartamento, procure instalar um sistema de vídeo-porteiro para que a criança possa ver e falar com o visitante. Caso não seja possível, ensine que a porta só poderá ser aberta com autorização do pai ou da mãe. Ensine ainda que não deve permitir a entrada de vizinhos ou pessoas conhecidas quando ela estiver sozinha;

- Evite que a criança peça refeições por telefone e não agende serviços (encanador, eletricista, pintor, consertos de aparelhos) quando a criança estiver sozinha;

- Se você possui algum tipo de arma em casa (revólver, pistola, espada, faca, etc.), guarde-a em local trancado e de difícil acesso para a criança. Entretanto, não omita dela a existência da arma. Procure conversar abertamente e falar sobre os sérios riscos envolvidos no manuseio de arma, ressaltando que jamais deverão brincar com as mesmas;

- Jamais deixe as crianças sozinhas, seja dentro ou fora de casa: assegure-se de que, o tempo todo, elas estejam sempre sob os cuidados de pessoas responsáveis e confiáveis, inclusive quando estiverem na escola.

- Atualmente, mesmos um inocente passeio pela praça do bairro pode transformar em um acontecimento triste. Portanto, algumas orientações quanto ao acompanhamento e às atividades das crianças nas ruas devem ser passadas a elas;

- Diga à criança para informar onde irá brincar. Se ocorrer algum atraso, ou se ela for a outro lugar, deve comunicar ao pai/mãe sobre o fato. Tenha sempre com você os nomes e telefones dos amiguinhos com os quais a criança costuma brincar;

- Explique à criança que não se trata de desconfiança, tampouco você quer envergonhá-la perante os amigos. Informe que são apenas medidas de prevenção, sem abordar detalhes que possam vir assustá-la;

- Ensine a criança a dizer o nome, endereço e telefone completo. Crie um cartão para ela com esses dados, além do tipo sanguíneo, se ela possui alergia a algum medicamento, bem como um segundo telefone de contato em caso de emergência;

- Saiba quem são os amigos de seus filhos e busque informações sobre suas famílias. Acostume-os sempre informar para onde vão, com quem e para fazer o quê;

- Tome isto um hábito e não irá parecer que eles estão sendo controlados.

- A escola deve representar para nossos filhos o seu segundo lar e por esse motivo deve oferecer condições de segurança adequadas;

- Inicialmente é necessário verificar com a direção como funciona o controle de acesso de pessoas/veículos às instalações, se existem restrições de horários para acesso/saída, se é permitido ao aluno ausentar-se durante o período de aula sem que seus pais/responsáveis sejam consultados, se as instalações dispõem de equipamento contra-incêndio e se há programa de treinamento que permite aos alunos conhecer as regras de segurança e saber como agem em situações emergenciais. Verifique também que medidas são tomadas a fim de evitar o uso de cigarros e drogas pelos alunos no interior da escola;

- Em caso de criança pequena, é importante ressaltar a direção da escola que esta deverá ser entregue somente ao pai/mãe/responsável. Se alguém solicitar por telefone a liberação da criança antes do término do horário normal de aula, o professor ou funcionário da escola deverá confirmar a identidade da pessoa que telefonou, antes de permitir a saída da criança;

- Quando for levar seu filho à escola, procure parar o carro em frente à entrada. Se não for possível, estacione o carro e leve-o até o portão a pé, mesmo que esteja chovendo.

Na saída, aja da mesma forma.

O Consumo de álcool e drogas é algo que assusta pais e familiares. Geralmente o usuário assume certos hábitos característicos que denotam esse desvio. È muito importante que todos estejam atentos ao primeiro sinal, pois quanto mais cedo o problema for identificado, maior a possibilidade de reversão do quadro. Relacionamos, a seguir, alguns itens a serem observados:

- Fique atento às mudanças de comportamento de seus filhos, pois este é o principal sintoma de uso de droga.

Apatia profunda ou agressividade e desleixo, falta de apetite e alterações na linguagem podem ser sinal de alerta que não devem ser desprezadas;

- Dificuldade no relacionamento com familiares e amigos;

- Freqüentes pedidos de empréstimos de dinheiro aos familiares e amigos;

- Incidências de furtos na própria residência, escola ou trabalho;

- Novos grupos de amigos com comportamento e atitudes semelhantes àquelas descritas acima.

Como ajudar um familiar ou amigo envolvido com drogas:

- Se você necessitar apoiar/aconselhar alguém que esteja envolvido com drogas, fornecendo as seguir algumas ficas como você poderá conduzir a abordagem:

Analítico: questionar se você é realmente um modelo de bom comportamento e boa índole para estar oferecendo esse tipo de apoio.

Compreensivo: ouvir as razões que tornam o vício em álcool e drogas perigoso e até mesmo fatal. Conscientizá-lo de que o problema requer acompanhamento e tratamento.

Firme: explicar as razões que tornam o vício em álcool e drogas perigoso e até mesmo fatal. Conscientizá-lo de que o problema requer acompanhamento e tratamento.

Colaborador: ajudar a pessoa a encontrar soluções e proporcionar todo apoio moral e efetivo que o viciado precisará para enfrentar os momentos difíceis.

 

CLIQUE NA IMAGEM ou solicite na Pagina de Contato para solicitar uma Visita Tecnica.